Fabiana Arruda

Fabiana Arruda é uma fabrica de desenhos.

Indicada ao Premio Jabuti  (Ilustração do livro Sapo Voador), ed Hedra.
Ilustração livro João e Maria da Cosac & Naif
Atualmente vivendo entre São Paulo, Suiça e Bahia.

     

Deslocamento Necessário

Eu tenho a impressão que é por esse caminho desencontrado, que se modifica toda vez quando o artista troca de cidade que o trabalho da Fabiana Arruda se desenvolve, desdobra-se. O trocar de cidade para Fabiana é fundamental, uma vez que conhece uma “porrada de gente” nova que acaba sendo incorporada nos trabalhos. Esse deslocamento real, está em grande parte de sua produção, ainda que não necessite de descrições de locais ou referenciais geográficos.

Sua produção tem início ainda  na segunda metade dos anos 90, quando estava na faculdade….ela veio para São Paulo lá do interior, ate estudou na (…) Foi a primeira artista a expor na hoje lendária Casa da Xiclet, na Rua Fradique Coutinho. Fez desenhos nas paredes externas, no banheiro, na área que levava ao quintal, no sofá…

Seu trabalho tem se desenvolvido no campo do desenho e da ilustração. Isso não é pouco, pensando-se que ela já foi indicada para o prêmio Jabuti de melhor ilustração de livro infantil em 2001.

Livro Disperso

O desenho lhe serve de mote para abordar numa espécie de “grande-livro”, todo ele disperso, de páginas independentes entre si, situações cotidianas, relacionamentos entre mãe e bebe, ou animais estranhos, ratos voadores, flores, carros, prédios, abraços carinhosos. O “grande-livro” como gosto de chamar a reunião dos seus trabalhos traz desenhos e textos em suportes os mais variados: papel, plástico, lona, tela, madeira, parede ou lençol. Conta histórias distintas de contatos íntimos seja com a paisagem urbana, num campo, em um lago para três personagens em fundo azul, ou a síntese do traço com a cor e fim de conseguir texturas na roupinha de algum personagem.

“Verdade há que ser dita” é uma colorista e tanto!

Quanto à escrita acho que na escola normal ela fez caligrafia, ( prender as mãos, segurar com firmeza os instrumentos de escrita, disciplinar os olhos, não coçar a cabeça na hora em que escreve). Ahh! Vai saber, Fabiana não é a reencarnação de um antigo escriba, que apreende a pintura e a escrita, nesta operação, poemisa o que toca.Ah Poesia….poesia oh!

Nomes de amigos, eventos os mais corriqueiros, autobiografia, animais domésticos coloridos, parentes distantes, trabalho e dinheiro, relacionamentos afetivos ou de acentuada raiva. O seu trabalho apresenta situações em separado de personagens sublimes, irreais que podem viver juntos, num mesmo planeta. O do desenho.

Um outro dado que me chama atenção em seus trabalhos é seu caráter infantil, no sentido de que há nele uma vontade de coleguismo, camaradagem, troca lúdica. Uma vontade-criança. Seus suportes variam para melhor refratar o momento de chegada da galera de personagens-atores sociais na sua cabeça-refratária, do que há de agradável na figuração. Texto e figuras estão de mãos dadas como irmãozinhos que vão juntos a escola e rabiscam a carteira. Há neles uma inventividade-criança.

Alexandre Araújo Bispo, 2003


2 thoughts on “Fabiana Arruda

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s