Fora de Casa

por André Cunha, Carlos Alcobia, Madalena Monteiro e Tiago Abel Simôes

texto adaptado da Tese de Mestrado em estudos Curatoriais da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa – Portugal.


As linhas do caminho justificam o nó da chegada. Esta frase encerra em si mesma uma parte significativa da função deste projeto. Neste caso o nó resultante do cruzamento das nossas linhas de investigação é a Casa, na sua dimensão física e emocional mas também, e sobretudo, na possibilidade da sua presença como manifestação sistêmica do precário através da desconstrução da noção de valor.

Investiga-se ainda sobre as relações da precariedade associada à transitoriedade dos trilhos e das ligações comunitárias estabelecidas a partir de um ponto central de encontro. Estabelecendo também importantes paralelos conceituais ao pensamento de Jacques Rancière e a obra de Hélio Oiticica este projeto estrutura-se igualmente em torno da importância do reposicionamento do componente pedagógico culminando na chegada a uma nova visão de Casa como-lugar-comum, de partilha e de emancipação.

Ponto de Partida

« Um homem percorre o mundo inteiro em busca daquilo que precisa e volta a casa para encontrá-lo» – George Augustus Moore

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s